Company Logo

Acesso Restrito

Docentes e Discentes

-

Cursos Regulares

Estágios/Bolsas

Estatística

Flag Counter

MyLiveChat


MESTRADO EM RADIOPROTEÇÃO E DOSIMETRIA - Turma 2010


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

Baixar PDF

CARLOS HENRIQUE SIMÕES DE SOUZA
Nomes em citações bibliográficas: SOUSA, C. H. S.; CHS SOUSA; SOUSA, C H S

Status: TITULADO
Data: 22/02/2013

Área de Concentração: METROLOGIA
Orientador: JOSÉ GUILHERME PEREIRA PEIXOTO (IRD/CNEN)

Dissertação: ESTIMATIVA DAS INCERTEZAS ASSOCIADAS AOS TESTES DE DESEMPENHO DE CALIBRADORES DE DOSES

Revisor: JOSÉ UBIRATAN DELGADO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: JOSÉ GUILHERME PEREIRA PEIXOTO (IRD/CNEN) - IVAN PEDRO SALATI DE ALMEIDA (DRS/CNEN) - CLAUDIO DE CARVALHO CONTI (IRD/CNEN) - JORGE NEVAL MOLL NETO (INSTITUTO D’OR)

Resumo: Conhecer as incertezas associadas a uma medição possibilita uma precisão melhor de seu resultado. O uso do calibrador de doses para a estimativa da atividade de amostras radioativas pela medicina nuclear implica na execução de testes de desempenho para a verificação de sua funcionalidade e qualidade de seus resultados, conforme as recomendações da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Atualmente os testes de desempenho apresentam faixas de tolerância que norteiam os usuários, porém, a precisão das medições não é estudada detalhadamente. Desta forma, esta pesquisa estimou as incertezas expandidas associadas aos testes requisitados normativamente, focando no conhecimento e determinação das grandezas de entrada independentes envolvidas nos procedimentos, demonstrando a importância das incertezas associadas aos resultados obtidos nos resultados. Para tal, foram utilizados nesta pesquisa três calibradores de doses, sendo dois com detectores tipo câmara de ionização e um com detectores tipo Geiger-Müller (GM). A realização dos testes utilizou também, um conjunto de fontes padrão referência certificadas e rastreadas pelo National Institute of Standards and Technology (NIST). Foram realizados os testes requeridos normativamente pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), utilizando os protocolos indicados pela Agência Internacional de Energia Atômica em seu documento técnico TECDOC 602 de 1991. As incertezas expandidas não correlacionadas avaliadas para os calibradores de doses com detectores do tipo câmara de ionização foram significativamente inferiores às do instrumento com detectores tipo Geiger-Müller. A correlação das grandezas de entrada radiação de fundo e exatidão mostrou-se verdadeira demonstrando que a correlação entre estas e outras grandezas de entrada pode produzir resultados mais precisos para as medições obtidas.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

CRISTIANA PLETSCH
Nome em citações bibliográficas: PLETSCH, C.

Status: TITULADO
Data: 28/02/2013

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientador: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN)

Dissertação: AVALIAÇÃO DA DOSE ABSORVIDA EM ÓRGÃOS DISTANTES DO VOLUME ALVO PARA DIFERENTES TRATAMENTOS DE CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

Revisor: PEDRO PACHECO DE QUEIRÓZ FILHO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN) - ALESSANDRO FACURE NEVES DE SALLES SOARES (CGMI/CNEN) - EDUARDO DE PAIVA (IRD/CNEN) - LUCIANA TOURINHO CAMPOS (LCR/UERJ)

Resumo: Muitos dos avanços em radioterapia são resultado de inovações em tecnologia e engenharia, bem como da revolução da informática aplicada ao planejamento do tratamento de pacientes. A radioterapia com modulação da intensidade (IMRT) é uma sofisticada técnica de tratamento que permite que a dose prescrita pelo radioterapeuta seja concentrada no volume do tumor, poupando os tecidos sadios que o circundam. No entanto, a desvantagem da técnica é o seu possível potencial de indução de cânceres secundários em órgãos distantes do volume alvo devido à radiação espalhada e de fuga, que geram doses maiores nesses órgãos distantes quando comparadas àquelas medidas nos tratamentos convencionais. Isso se deve a um maior uso de unidades de monitor e a uma maior quantidade de campos de tratamento. Neste trabalho foram avaliadas as doses absorvidas em órgãos distantes da região de cabeça e pescoço, comparando tratamentos convencionais e tratamentos utilizando a técnica IMRT. A avaliação foi feita a partir da medição da dose em órgãos de importância radiológica distantes da região de tratamento. Todas as medidas foram executadas em um simulador antropomórfico RANDO Alderson que possui componentes internas equivalentes ao músculo, ossos e pulmões e é fatiado para a colocação de detectores termoluminescentes em orifícios apropriados existentes nas fatias. Este simulador, preenchido com dosímetros termoluminescentes TLD-100 foi submetido a um tratamento de cabeça e pescoço com irradiador de cobalto 60, um tratamento convencional com feixe de 6 MV e dois tratamentos de complexidades diferentes utilizando IMRT, também com feixe de 6MV. Os resultados obtidos mostram que as técnicas de IMRT geram doses maiores nos órgãos distantes, quando comparadas àquelas geradas no tratamento convencional com feixe de 6 MV. Contudo, essas doses não são muito diferentes daquelas medidas quando do tratamento utilizando o irradiador de 60Co.


Utilize leitor de QR CODE para download no celular ou tablet

 

 

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

ELIZA REGINA PORTELA
Nome em citações bibliográficas: PORTELA, E. R.

Status: TITULADO
Data: 28/02/2013

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientadora: CLAUDIA LUCIA DE PINHO MAURICIO (IRD/CNEN)
Co-orientador: JOÃO EMILIO PEIXOTO

Dissertação: METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: ESTUDO DE CASO

Revisor: PEDRO PACHECO DE QUEIROZ FILHO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: CLAUDIA LUCIA DE PINHO MAURICIO (IRD/CNEN) - LUCIA VIVIANA CANEVARO (IRD/CNEN) - CELIA MARIA CAMPOS COUTINHO (IRD/CNEN) - LUIS ALEXANDRE GONÇALVES MAGALHÃES (LCR/UERJ)

Resumo: No Brasil, tem crescido o interesse pelo controle de qualidade e controle de risco em radiodiagnóstico. No caso da mamografia procura-se um melhor desempenho dos equipamentos e sua reprodutibilidade para um melhor diagnóstico. O objetivo deste estudo foi propor uma metodologia de auditoria para avaliação de programas de Garantia da Qualidade em mamografia. Documentos da Agencia Internacional de Energia Atômica e regulamentos nacionais foram usados como base para o trabalho. Foram desenvolvidos vários formulários para a execução destas auditorias. A metodologia foi testada em duas instituições no estado do Rio de Janeiro e mostrou-se adequada. Por ser mais simples e prática, favorece a sua aplicação e seu entendimento. De um modo geral, a auditoria pode ser realizada por apenas duas pessoas com experiência em auditoria, que tenham conhecimentos de mamografia, ou pessoas que sejam treinadas para esta finalidade específica. O Sistema de Garantia da Qualidade das duas instituições auditadas era deficiente, e em uma delas, quase inexistente. Mas, mesmo assim, o resultado da auditoria foi considerado um diagnóstico importante para sua melhoria. Como não estava implementado nenhum Programa de Controle de Qualidade nas instituições auditadas, o mesmo não pode ser auditado. Foram realizados testes de desempenho para verificar a qualidade técnica do serviço. A auditoria mostrou a necessidade da conscientização sobre Garantia da Qualidade e a falta de informações sobre como implantar um programa de Controle de Qualidade e realizar os testes rotineiros. Para garantir a eficácia e eficiência dos diagnósticos de câncer de mama no Brasil, possibilitando maior percentual de cura, é importante a implantação de programas de Garantia da Qualidade, visando à melhoria contínua. A metodologia testada neste trabalho, se usada pelas instituições e pelos órgãos licenciadores propiciaria avanços na qualidade dos serviços de mamografia no Brasil.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

FELIPE SIMAS DOS SANTOS
Nomes em citações bibliográficas: SIMAS, F. S.; F. S. Santos; Felipe S. Santos; Santos, Felipe Simas Dos; Felipe Simas dos Santos; Simas, Felipe; Simas, F.

Status: TITULADO
Data: 01/03/2013

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientadora: SILVIA MARIA VELASQUES DE OLIVEIRA (IRD/CNEN)
Co-orientadora: ÉRIKA TAMI PIRES KASAI

Dissertação: ESTUDO DE COMPORTAMENTO BIOCINÉTICO DO 99mTc-DMSA EM CINTILOGRAFIA RENAL DE PACIENTES PEDIÁTRICOS

Revisor: BERNARDO MARANHÃO DANTAS (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: SILVIA MARIA VELASQUES DE OLIVEIRA (IRD/CNEN) - LUCIA VIVIANA CANEVARO (IRD/CNEN) - LÍGIA MENDES QUINTÃES DE CASTRO JULIÃO (IRD/CNEN) - BERDJ ARAM MEGUERIAN (HOSPITAL PEDRO ERNESTO/UERJ)

Resumo: No Brasil, estudos renais com 99mTc-DTPA e 99mTc-DMSA constituem cerca de 18% dos procedimentos diagnósticos pediátricos. Estudo retrospectivo não-randomizado foi realizado em 2010, para quantificação absoluta de atividades nos rins. Em 2010, de 51 pacientes submetidos a estudos renais no HUPE-UERJ, RJ, 19 pacientes com 9±4 anos de idade e massa corporal de 31,8±20,8 kg apresentaram captação relativa do 99mTc-DMSA entre 45% e 55%. Imagens estáticas (AP, PA e oblíqua incidências abdômen posterior) foram adquiridas 4 h após a administração intravenosa de 115,69±42,31 MBq de 99mTc-DMSA usando câmara gama (Siemens E-Cam), colimador LEHR, matriz de 256x256 e 5min por imagem. Em 2012, 3 pacientes (9,3±2,1 anos, 31,97±10,75 kg) do estudo anterior foram acompanhados em estudo prospectivo. Foram coletadas todas as excreções urinárias desde a administração do 99mTc-DMSA até 6 h, enquanto que simultaneamente foram adquiridas imagens AP e PA da região abdominal com equipamento Philips modelo Picker Prism 2000XP. Alíquotas da cada amostra de urina foram medidas em contador de poço GenesysTM Gamma 1 com detector de NaI(Tl). Para corpo inteiro, a meia-vida biológica estimada foi 11,0±2,0 h, e o tempo de residência encontrado foi de 5,6±0,4 h enquanto que a literatura apresenta 4,1±0,5 h para a faixa etária estudada. Foi encontrado tempo de residência para rins de 0,7±0,4 h, enquanto que a literatura registra 3,07 h e de 1,4 h para pacientes normais e com patologias renais, respectivamente. Esta variação nos resultados pode ser atribuida à metodologia adotada, pois enquanto as imagens foram realizadas nas primeiras 6 h, Smith et. al (1996) realizou imagens dos rins e de corpo inteiro 30 h após a administração do 99mTc-DMSA, incorporando o termo lento da meia-vida biológica. Para fígado, foi encontrado o tempo de residência médio de 3,0±0,4 min, enquanto que a literatura indica 20,8 min e 25,1 min, respectivamente segundo Smith et. al (1996) e ICRP (1998). O fato de a atividade média administrada ter sido superior à atividade estimada por 3 critérios diferentes não é um parâmetro único a ser considerado para a otimização das doses, uma vez que, para o diagnóstico, a qualidade da imagem deve ser assegurada. Portanto, a análise da qualidade das imagens deve fazer parte do estudo. Recomenda-se incluir no protocolo de estudo imagens de corpo inteiro no primeiro dia e 24 h após a administração do 99mTc-DMSA. Para a quantificação da atividade em corpo inteiro, recomenda-se realizar o mapa de atenuação do paciente através de uma imagem de emissão. Para imagens de órgãos, recomenda-se usar simulador físico para a obtenção do fator de calibração do respectivo órgão. O tempo de aquisição das imagens deve acompanhar ao tempo estimado para a meia-vida biológica com 2 termos (rápido e lento).


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

FERNANDA LEITE DA SILVA
Nome em citações bibliográficas: SILVA, F. L.

Status: TITULADO
Data: 01/03/2013

Área de Concentração: RADIOECOLOGIA
Orientadora: MARIA ANGELICA VERGARA WASSERMAN (IRD/CNEN)
Co-orientador: DANIEL VIDAL PEREZ

Dissertação: AVALIAÇÃO DA MOBILIDADE DO 137Cs EM PERFIS DE SOLOS DA REGIÃO DO PANTANAL

Revisor: LUIZ TAUHATA (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: MARIA ANGÉLICA VERGARA WASSERMAN (IRD/CNEN) -  ELAINE RUA RODRIGUEZ ROCHEDO (IRD/CNEN) -  ANA CRISTINA DE MELLO FERREIRA (IRD/CNEN) - CELSO MARCELO FRANKLIN LAPA (IEN/CNEN)

Resumo: Poluentes radioativos podem provocar impacto na qualidade ambiental dos solos e representar risco à saúde humana. A liberação desses materiais radioativos através de testes nucleares ou acidentes nucleares causa a deposição dos radionuclídeos sobre o solo, podendo ser lixiviados pela chuva, transportados para as fontes de águas naturais e absorvidos pela fauna e flora do solo e assim, entrar na cadeia alimentar humana. Estudos radioecológicos mostraram que solos com baixo pH, baixo teor de matéria orgânica e baixa fertilidade são mais vulneráveis à contaminação por 137Cs, uma vez que a transferência para plantas é elevada. Neste trabalho, o objetivo foi avaliar e mapear a vulnerabilidade à contaminação por 137Cs dos horizontes superficiais dos solos da região do Pantanal e propor medidas mitigadoras adaptadas ao cenário regional para otimizar a proteção radiológica de áreas agrícolas. Para tanto, selecionou perfis de solos localizados no município de Jaraguari, estado de Mato Grosso do Sul, e aplicou o modelo conceitual desenvolvido por PICANÇO JR (2012), no qual foi utilizado valores de referência do fator de transferência solo-planta (FT) para 137Cs em milho, relacionando variáveis pedológicas (pH, CTC e K trocável) e relevância dos parâmetros e amplitudes de variações para cada faixa de valor de FT. A aplicação desse modelo conceitual estabelecido para detectar a vulnerabilidade de solos à contaminação radioativa gerou mapas de radiovulnerabilidade mostrando que a região é bastante heterogênea quanto a este critério, apresentando níveis de vulnerabilidade baixos para a maior parte da região e em algumas áreas, vulnerabilidade extrema. Este resultado identificou o Pantanal como uma das regiões menos vulneráveis à contaminação radioativa, porém as escassas áreas de vulnerabilidade extrema podem levar a uma contaminação do subsolo e uma importante dispersão da contaminação via água subterrânea. Esse modelo conceitual, que define as classes de radiovulnerabilidade, é um primeiro passo para o estudo e determinação de um índice numérico de vulnerabilidade de solos ao 137Cs, podendo ser utilizado na tarefa de remediação de áreas rurais em caso de acidente pela contaminação por 137Cs e estabelecendo áreas geográficas onde se deve priorizar o tratamento devido a uma radiovulnerabilidade maior.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

GIOVANE DE JESUS TEIXEIRA
Nomes em citações bibliográficas: TEIXEIRA, G. J.; TEIXEIRA, G J

Status: TITULADO
Data: 19/02/2013

Área de Concentração: METROLOGIA
Orientador: JOSÉ GUILHERME PEREIRA PEIXOTO (IRD/CNEN)

Dissertação: COEFICIENTES DE TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA EM MASSA PARA RAIOS X DIAGNÓTICO: DETERMINAÇÃO E ANÁLISE

Revisora: KARLA CRISTINA DE SOUZA PATRÃO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: JOSÉ GUILHERME PEREIRA PEIXOTO (IRD/CNEN) - WALSAN WAGNER PEREIRA (IRD/CNEN) - CARLOS EDUARDO VELOSO DE ALMEIDA (LCR/UERJ) - ANEURI SOUZA DE AMORIM (CTEX)

Resumo: O Kerma no ar de Entrada na Superfície e o Kerma no Ar Incidente são grandezas derivadas da grandeza absoluta Kerma no Ar, relacionando o desempenho do equipamento e doses praticadas nos serviços de radiodiagnóstico convencional. O problema verificado em rotinas clínicas de física médica é a rastreabilidade das medidas realizadas aos sistemas metrológicos dos laboratórios padrão-referência. O objetivo desse trabalho foi avaliar as variáveis envolvidas nessas rotinas, do arranjo de medição aos elementos influenciadores intrínsecos agregados aos sistemas de raios X. Atenção especial foi dada à geração dos coeficientes de transferência de energia em massa para fontes multi-energéticas oriundas do equipamento de raios X, variando de 30 a 150 kVp. Foi verificada também a influência da temperatura do tubo de raios X na reprodutibilidade da Dose medida. A contribuição do retroespalhamento da mesa de exames à câmara de ionização foi estudada e encontrada uma distância detector-mesatubo segura para as práticas descritas. Os valores de coeficientes mássicos encontrados variaram entre 0,3733 cm2/g para 30 kVp e 0,0439 cm2/g para 150 kVp, de comportamento espectral inversamente proporcional à tensão e diferindo de fontes mono-energéticas, quais, seus coeficientes, a partir de 90 keV, sofrem um aumento em função da contribuição do componente Kerma radiativo. Os μtr/ρ; encontrados, tendo em vista sua relação com o Kerma, podem facilmente ser aplicados a outros sistemas dosimétricos não relacionados com a câmara de ionização.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

MARIA LETÍCIA DANTAS
Nome em citações bibliográficas: DANTAS, M. L.

Status: TITULADO
Data: 22/02/2013

Área de Concentração: METROLOGIA
Orientador: CLAUDIO DE CARVALHO CONTI (IRD/CNEN)

Dissertação: INFLUÊNCIA DO ESPALHAMENTO E DA ATENUAÇÃO DO AR DO EQUIVALENTE DE DOSE AMBIENTE EM FUNÇÃO DA DISTÂNCIA PARA IRRADIAÇÕES COM FONTE DE 241 Am-Be NO SALÃO DE BAIXO ESPALHAMENTO DO LABORATÓRIO DE NÊUTRONS DO LABORATÓRIO NACIONAL DE METROLOGIA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES

Revisor: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: CLAUDIO DE CARVALHO CONTI (IRD/CNEN) - JOSÉ UBIRATAN DELGADO (IRD/CNEN) - ANEURI SOUZA DE AMORIM (CTEX) - CÉSAR MARQUES SALGADO (IEN/CNEN)

Resumo: Nêutrons são partículas não carregadas eletricamente, contudo são indiretamente ionizantes apresentando, portanto, risco. Há desta forma, necessidade de controle de campos de nêutrons onde estes estiverem presentes. A monitoração de área pode ser realizada utilizando medições da grandeza operacional equivalente de dose ambiente. O Laboratório de Nêutrons do IRD (Instituto de Radioproteção e Dosimetria) ligado ao LNMRI (Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes) realiza medições e calibração de detectores utilizados na monitoração de área para nêutrons dispondo, para isso, de um salão de baixo espalhamento. Contudo, há a ocorrência de espalhamento de nêutrons tanto no ar quanto nos materiais próximos (paredes, teto, trilhos e equipamentos) e que contribui para dose, necessitando, portanto, ser considerado nos cálculos. Este trabalho tem como objetivo avaliar o efeito de espalhamento de nêutrons no espectro relativo à fonte de nêutrons de 241Am-Be no Salão de Baixo Espalhamento do Laboratório de Nêutrons. A técnica do cone de sombra, para medições de equivalente de dose ambiente na monitoração de área para nêutrons, auxilia no cálculo do fator de espalhamento de nêutrons do espectro da fonte de 241Am-Be. Esta contribuição permite a avaliação da correta grandeza operacional nas medições referentes à metrologia de nêutrons sem interferências físicas do local onde se realiza essas medições.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

RACHEL ALBUQUERQUE ROCHA
Nome em citações bibliográficas: ROCHA, R. A.

Status: TITULADO
Data: 22/02/2013

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientadora: LUCÍA VIVIANA CANEVARO (IRD/CNEN)

Dissertação: OTIMIZAÇÃO DA RELAÇÃO DOSE x QUALIDADE DE IMAGEM PARA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE BEAM EM IMPLANTODONTIA

Revisor: EDUARDO DE PAIVA (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: LUCÍA VIVIANA CANEVARO (IRD/CNEN) - CLAÚDIA LÚCIA DE PINHO MAURÍCIO (IRD/CNEN) - NADYA MARIA PRADO DAMASCENO FERREIRA (IME) - OSWALDO DE VASCONCELLOS VILELLA (UFF)

Resumo: A tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) é um método de alta precisão diagnóstica que permite obter imagens tridimensionais, sendo a modalidade de escolha para imagem das estruturas ósseas em Odontologia. Este projeto avaliou casos restritos à Implantodontia (planejamento e avaliação de implantes dentários), área odontológica que mais solicita exames tomográficos Cone Beam. No Brasil, poucos dados dosimétricos têm sido encontrados sobre os níveis de exposição dos pacientes durante estes procedimentos. Aspectos de qualidade da imagem também não têm sido estudados intensivamente, não havendo uma recomendação nacional e uma padronização para a execução destes exames. Portanto, faz-se necessário estabelecer valores adequados de dose que possibilitem uma imagem satisfatória para o diagnóstico, levando-se em conta o risco associado à exposição à radiação, a fim de promover a otimização da proteção radiológica. Baseado nestas considerações, este trabalho objetivou quantificar os níveis de exposição dos pacientes expostos a procedimentos de TCFC em diferentes protocolos, avaliar parâmetros físicos da qualidade de imagem mediante o uso de objetos de teste (fantomas) e propor procedimentos de otimização da relação dose x qualidade de imagem em exames tomográficos Cone Beam, para fins diagnósticos em Implantodontia. Uma instituição de radiodiagnóstico particular foi convidada para participar do projeto. Para medir os níveis de exposição, foram utilizadas as grandezas produto kerma-comprimento (PKL) e produto kerma-área (PKA). Aspectos físicos e anatômicos da qualidade da imagem foram avaliados utilizando objetos de teste apropriados. Depois de finalizada a coleta de dados, foi realizado o tratamento dessas informações e a análise feita por um grupo de dez dentistas implantodontistas. Com auxílio de um questionário proposto, foi estabelecida uma relação entre os valores de dose ministrados e a qualidade das imagens adquiridas levando em consideração a definição de estruturas anatômicas vitais, que são pontos importantes a serem localizados para a escolha do local de inserção de um implante. A partir desses resultados, pôde-se observar a importância do uso racional das técnicas utilizadas e de se individualizar esta técnica para cada caso, em função da finalidade do exame e das características do paciente. Além disso, se destaca a necessidade de constantes avaliações, revisões de protocolos e comparações com os equipamentos disponíveis no mercado, com o intuito de uniformizar a técnica e obter dados para um futuro estabelecimento de níveis de referencia nacionais.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

THIAGO BERNARDINO DA SILVEIRA
Nome em citações bibliográficas: SILVEIRA, T. B.

Status: TITULADO
Data: 16/07/2012

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientador: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN)

Dissertação: IMPLEMENTAÇÃO E EPID PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE QUALIDADE DE FEIXES CLÍNICOS EM RADIOTERAPIA

Revisor: PEDRO PACHECO DE QUEIROZ FILHO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN) - EDUARDO DE PAIVA (IRD/CNEN) - ALESSANDRO FACURE NEVES DE SALLES SOARES (SEDE/CNEN) - DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA (IF/UFS)

Resumo: As técnicas recentes em radioterapia demandam procedimentos adicionais mais refinados de controle de qualidade. Neste contexto, o Dispositivo Eletrônico de Imagens Portais (EPID) surge como uma forte ferramenta para realização de verificações dosimétricas dos tratamentos modulados e controle de qualidade diário dos aceleradores. O objetivo deste trabalho é descrever o procedimento de implementação do EPID modelo aS500-II do acelerador linear Trilogy (Varian Medical Systems) do Instituto Nacional de Câncer, comparando seu desempenho contra a matriz de câmaras de ionização PTW 2D Array seven29 para os testes da rotina de controle de qualidade. Primeiramente, realizaram-se os testes de aceitação da unidade de detecção de imagem e do braço mecânico de sustentação do EPID; depois realizou-se o procedimento de calibração absoluta do sistema, estabelecendo-se uma relação entre dose absoluta e a unidade de calibração do portal chamada Unidades de Calibração (UC). Depois da aceitação, foi desenvolvido um programa de controle de qualidade compreensivo para o EPID, baseado em publicações internacionais da Associação Americana de Físicos em Medicina e ajustado à realidade clínica de atendimento do instituto. A comparação entre EPID e PTW 2D Array foi feita analisando perfis de dose para campos abertos e com filtros dinâmicos. O desempenho de ambos os dispositivos foi comparável para os perfis laterais e longitudinais para todos os campos. As maiores discrepâncias foram observadas para os perfis longitudinais devido ao efeito de retroespalhamento do braço mecânico do EPID. A concordância entre os fatores de transmissão dos filtros dinâmicos medidos com os dois dispositivos foi muito boa, com desvios médios de 0,49% e 0,12% para 6 e 10 MeV, respectivamente. Finalmente, foi realizada também uma comparação de desempenho dos dois sistemas para verificações pré-tratamento de IMRT. Foram analisados 10 planejamentos para diferentes sítios tumorais e energias de fótons. Utilizou-se a modalidade de IMRT por Sliding-window. Dois softwares diferentes foram utilizados para avaliar os dados: o Verisoft versão 4.0 para o Array e o Eclipse 8.6 com Portal Dosimetry para o EPID. A avaliação dos níveis de concordância entre as matrizes de dose prevista e medida foi realizada, campo a campo, empregando a análise pelo Índice Gama com parâmetros de 3% de diferença de dose e 3 mm de distância para aceitação. O EPID mostrou piores resultados para os percentuais de aprovação, em média 2,24% menor, e maiores valores de índice gama médio; mesmo assim confirmou todas as aprovações de planos estabelecidas pelo Array. Estes efeitos aconteceram devido à maior sensibilidade do EPID gerada pela sua alta resolução espacial, 0,784 mm contra 1,0 cm do Array. O EPID, juntamente ao Portal Dosimetry, provaram-se ótimas ferramentas para realização de verificações pré-tratamento de IMRT e testes de controle de qualidade dos aceleradores, provendo ganho significativo nas análises de distribuições planares e perfis de dose. Além disso, o sistema com o EPID mostrou-se prático e fácil para posicionamento, aquisição e análise de dados, e possui uma área de detecção maior que os dispositivos de detecção de dose planar portáteis.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

VERONICA VENTURINE ROSSATO
Nomes em citações bibliográficas: ---

Status: TITULADO
Data: 25/02/2013

Área de Concentração: BIOFÍSICA DAS RADIAÇÕES
Orientador: CARLOS EDUARDO BONACOSSA DE ALMEIDA (IRD/CNEN)
Co-orientador: ÁLVARO AUGUSTO DA COSTA LEITÃO

Dissertação: PAPEL DA EUMELANINA COMO AGENTE MODIFICADOR DE DOSE PARA INDUÇÃO DE QUEBRAS DE DNA EM PLASMIDEOS IRRADIADOS COM RAIOS GAMA (Cs-137) E TRATADOS COM PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO (H2O2)

Revisor: BERNARDO MARANHÃO DANTAS (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: CARLOS EDUARDO BONACOSSA DE ALMEIDA (IRD/CNEN) - DENISON DE SOUZA SANTOS (IRD/CNEN) - WALSAN WAGNER PEREIRA (IRD/CNEN) - CLAUDIA DE ALENCAR SANTOS LAGE (IBCCF/UFRJ)

Resumo: Melaninas são pigmentos presentes em um grande número de seres vivos como bactérias, fungos, plantas e animais. A neuromelanina, produzida pelos neurônios dopaminérgicos, tem como função quelar metais, protegendo o cérebro contra a neurodegeneração, já a eumelanina e a feomelanina são produzidas por melanócitos de mamíferos, e estão envolvidas na ligação de cátions, ânions, fármacos e produtos químicos, e desempenham um papel importante na proteção dos seres vivos. Ela é encontrada em diferentes compartimentos como nos olhos, cabelos e pele, sendo sintetizada pelos melanócitos, oferecendo proteção contra danos genéticos induzidos pela radiação UV e também parece atuar como neutralizador de radicais livres ocasionados pela radiação ionizante. A melanina é também encontrada no câncer de pele (melanoma), pois este é derivado de melonócitos neoplásicos. Este fato torna possível seu uso como um alvo potencial para a terapia de radionuclídeo de melanoma metastático. Em bactérias e fungos, a melanina tem a função de proteção contra o estresse ambiental como, por exemplo, a exposição a metais pesados, choque de pH, radiação UV, dentre outros. Recentemente, foi demonstrado que fungos melanizados expostos a altos níveis de radiação ionizante cresceram significativamente mais rápido sob condição de limitação nutricional, indicando possível papel da melanina nesse fenômeno. Entretanto, os mecanismos envolvidos neste processo ainda não foram esclarecidos. O objetivo deste trabalho foi estudar o mecanismo de genotoxicidade das radiações ionizantes na presença da melanina do tipo eumelanina, utilizando plasmídeos bacterianos como modelo. As análises de produção de quebra simples de DNA foram feitas por meio do teste de ensaio de danos no DNA de plasmídeos superenovelados (Supercoiled Plasmid DNA Damage Assay). Os resultados obtidos mostraram que a eumelanina, na concentração de 100 μg/mL, modificou o efeito genotóxico da radiação ionizante nas diferentes doses utilizadas, diminuindo os danos ocasionados aos plasmídeos, porém este efeito não ocorreu nas amostras com peróxido de hidrogênio.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

VITOR NASCIMENTO DE CARVALHO PINTO
Nome em citações bibliográficas: PINTO, V. N. C.

Status: TITULADO
Data: 01/03/2013

Área de Concentração: FÍSICA MÉDICA
Orientador: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN)
Co-orientador: JOAO EMILIO PEIXOTO

Dissertação: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE TESTE PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA IMAGEM EM MAMOGRAFIA DIGITAL

Revisora: KARLA CRISTINA DE SOUZA PATRÃO (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: LUIZ ANTONIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN) - DANIEL ALEXANDRE BAPTISTA BONIFACIO (IRD/CNEN) - CELIA MARIA CAMPOS COUTINHO (IRD/CNEN) - ALFREDO VIAMONTE MARIN (PQRT/INCA)

Resumo: A mamografia é o exame chamado “padrão ouro” para a detecção precoce do câncer de mama. No Brasil, são realizados mais de oito milhões de exames por ano. Com o avanço da tecnologia, têm sido implementados cada vez mais os sistemas digitais CR e DR para esta modalidade diagnóstica, em substituição ao sistema tela-filme convencional (SFT), o qual além de trazer poluição ambiental ainda apresentava problemas com a rejeição de imagens com artefatos de processamento. Os sistemas digitais, além de não apresentarem o problema de poluição ambiental ainda permitem o processamento da imagem, possibilitando uma taxa de rejeição bastante inferior em relação ao sistema convencional. Além disso, a determinação de um diagnóstico preciso é altamente dependente da qualidade da imagem do exame realizado. Para assegurar a confiabilidade das imagens produzidas por esses sistemas, faz-se necessária a sua avaliação periódica. Infelizmente, ainda não existe no Brasil regulamentação a respeito da Garantia da Qualidade de sistemas digitais de mamografia. O objetivo deste trabalho foi desenvolver um conjunto de objetos de teste que permitisse a avaliação de alguns parâmetros da qualidade da imagem destes sistemas digitais, como a uniformidade do campo de imagem, a linearidade entre o Kerma no ar incidente e o valor médio de pixel (VMP) da imagem, a resolução espacial do sistema através da função transferência de modulação (MTF) e ainda, sugerir um objeto para a avaliação da razão contraste-ruído (CNR) e razão diferença-de-sinal-ruído (SDNR). A fim de testar os objetos, foram avaliados 10 serviços de mamografia, sendo sete com o sistema CR e três com o sistema DR. Para avaliação da linearidade, além dos objetos de teste foi necessário o uso de dosímetros termoluminescentes de alta sensibilidade (LiF:Mg,Cu,P). O uso destes dosímetros foi recomendado com o intuito de reduzir o tempo necessário para realização dos testes além de diminuição no número de exposições necessárias. Para avaliação das imagens digitais no formato DICOM, foi utilizado o programa “OBJ_IQ_reduced”, versão 3.0, desenvolvido pela equipe do Prof. Dr. Nicholas Marshall na Universidade Católica de Leuven, na Bélgica. Os resultados obtidos foram bastante promissores, deixando aberta a possibilidade de trabalhos futuros como a otimização das incertezas e fatores de correção dos dosímetros para os objetos de teste, bem como sua aplicabilidade na avaliação da qualidade das imagens de sistemas digitais de todo o país.


Utilize QR CODE para download no celular ou tablet

Curriculo Lattes

Visualizar PDF

WARNER FAGUNDES AUDINO
Nome em citações bibliográficas: AUDINO, F. W.

Status: TITULADO
Data: 28/02/2013

Área de Concentração: BIOFÍSICA DAS RADIAÇÕES
Orientador: BERNARDO MARANHÃO DANTAS (IRD/CNEN)
Co-orientadora: ANA LETÍCIA ALMEIDA DANTAS (IRD/CNEN0

Dissertação: PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL INTERNA A 65Zn EM UMA PLANTA DE PRODUÇÃO DE RADIOFÁRMACOS

Revisor: LUIZ ANTÔNIO RIBEIRO DA ROSA (IRD/CNEN)

Banca Examinadora: BERNARDO MARANHÃO DANTAS (IRD/CNEN) - SILVIA MARIA VELASQUES DE OLIVEIRA (IRD/CNEN) - EVALDO SIMOES DA FONSECA (IRD/CNEN) - ANTÔNIO CARLOS DE FREITAS (UERJ)

Resumo: A manutenção do cíclotron do IEN-CNEN, onde é produzido o 123I, utilizado para diagnóstico em medicina nuclear, pode levar à incorporação de 65Zn, gerado pela ativação do cobre presente nas peças do equipamento, e consequente incorporação interna dos trabalhadores ocupacionalmente expostos. Na Unidade de Contador de Corpo Inteiro do Instituto de Radioproteção e Dosimetria já foram realizadas aproximadamente 500 monitorações in vivo nos últimos 20 anos, através da detecção de fótons de 1115 keV. Pode-se afirmar que a planta de produção de 123I do IEN é segura em termos de radioproteção, já que todas as incorporações detectadas até o momento representam apenas uma pequena fração do limite anual de dose estabelecido nas Normas da CNEN. Entretanto, com o objetivo de aprimorar a monitoração interna de grupo de trabalhadores, foi desenvolvida, no Laboratório de Bioanálise in vitro do IRD, uma técnica de análise por espectrometria gama, visando à determinação de 65Zn em amostras biológicas. A calibração do sistema de detecção in vitro, que utiliza um cristal coaxial de germânio hiperpuro, foi realizada com fonte líquida padrão de 65Zn produzida e certificada pelo LNMRI-IRD. A fonte foi dividida em dois frascos de 1 e 2 litros. Foi obtida uma curva de calibração eficiência x volume para cada frasco, nos intervalos 100 a 1000 mL e 1000 a 2000 mL, respectivamente, com incrementos de volume de 100 mL de HCl 0,1 M. Foi também estabelecida e avaliada a metodologia para interpretação dos dados de bioanálise obtidos a partir das monitorações in vivo e in vitro. A técnica foi testada na monitoração in vivo e in vitro de três trabalhadores ocupacionalmente expostos que realizaram a manutenção do cíclotron CV-28 do IEN em 2011. Considerando um cenário padrão de incorporação única, via ingestão de composto de 65Zn tipo S, a Atividade Mínima Detetável (AMD) da técnica in vitro, para 1 litro de amostra de urina, foi de 5,18 Bq, o que corresponde a uma Dose Efetiva Mínima Detetável (DEMD) de 22,7x10-3 mSv. O tempo máximo para a coleta de amostra de urina é de 120 dias após a incorporação. No caso da técnica in vivo, a AMD é de 72,38 Bq, correspondendo a uma DEMD de 3,4x10-4 mSv. A monitoração in vivo deve ser realizada anualmente. As metodologias de bioanálise in vivo e in vitro mostram-se eficazes, além de apresentarem sensibilidade adequada para sua aplicação em monitoração ocupacional, tendo ambas as técnicas apresentado DEMD abaixo do nível de registro de 1 mSv para os cenários de incorporação estudados.


     



Powered by Joomla!®. Design by: Mobility Theme  Valid XHTML and CSS.